Fotodepilação – Depilação Indolor

Depilação duradoura é o desejo de toda mulher, em especial com um precedimento praticamente indolor. Assim é o método da fotodepilação que, por meio da Luz Pulsada Intensa (IPL), elimina os pelos por meio do calor emitido pela luz.

Pouco conhecido no Brasil, o método é frequentemente confundido com a depilação a laser. Segundo a fisioterapeuta dermatofuncional Lia Leardini, “a principal diferença é que o laser emite uma luz de comprimento de onda contínua, monocromática, unidirecional. Assim, a concentração de energia é maior no local, o que torna o tratamento mais doloroso. Já a Luz Pulsada Intensa emite uma luz que contém vários comprimentos de onda, é policromática, não direcionada e dispersa.

Este conjunto faz com que a concentração de energia seja menor, mas com a mesma eficiência e com a diferença que trata vários tipos de pele e pelos. Além da luz ser mais dispersa, a aplicação é feita com a tecnologia de refrigeração sub-zero, que ameniza ainda mais a dor”.

Outra vantagem em relação às aplicações a laser é a possibilidade de tratar vários tipos de cores de pele e todas as texturas do pelo, do mais grosso ao mais fino. Em relação aos métodos convencionais de depilação, como a cera e a lâmina, a luz pulsada intensa ainda clareia a pele manchada e elimina os problemas de foliculite.

A fisioterapeuta explica ainda que a fotodepilação pode ser aplicada em todas as áreas corporais e faciais, exceto a sobrancelha, região de mucosa, couro cabeludo e região testicular.

“É necessário que o pelo tenha o comprimento de 1mm a 3mm, que é quando está totalmente visível e fora da pele”, explica a fisioterapeuta. De acordo com ela, é necessário, ainda, que a pessoa não tenha tomado sol quinze dias antes do tratamento e também que não se exponha nos quinze dias seguintes após a aplicação.

Fonte: Revista “Dia Melhor”

Deixe uma resposta